A agricultura é uma atividade do setor primário que movimenta vários setores da economia e gera emprego e renda no campo. Setor importante, tem números impressionantes, como os de exportação: 7 em cada 10 produtos exportados em 2016 eram agrícolas. A safra nacional de grãos bateu um novo recorde em julho passado, segundo o IBGE: 242,1 milhões de toneladas, 31,1% a mais do que em 2016.

Mas, apesar desses números e argumentos, a agricultura é uma das grandes responsáveis pela degradação do meio ambiente. Seu grande desafio nas últimas décadas é produzir e cuidar do meio ambiente. Dessa combinação de fatores, nasceu a Agroecologia. O progresso não pode parar, a economia precisa se manter aquecida com a agricultura, mas é preciso produzir com consciência e garantir o desenvolvimento rural sustentável.  

Portanto, quem atua na área de agricultura ou em áreas correlatas tem que ter um bom embasamento sobre agroecologia. Um curso de agroecologia é uma das ferramentas para deixar profissionais e demais interessados a par de todos os aspectos que envolvem essa ciência – de legislação a práticas sustentáveis de produção agrícola.

O portal de cursos online Centro de Estudos e Formação tem no Curso Online Agroecologia uma ótima opção para quem busca conhecimentos nessa área tão rica em valores e também em empregabilidade, uma vez que une um dos grandes geradores de emprego (agricultura) e um campo que sempre será um diferencial em qualquer carreira: a sustentabilidade.

Neste artigo vamos falar de nosso curso online e dar dicas de outros cursos a distância do portal que têm a ver com a temática. Acompanhe e conheça um pouco mais sobre agroecologia, agronegócio, agricultura familiar e vários outros tópicos relacionados.

Agricultura convencional x agricultura orgânica

A agroecologia e o agronegócio são dois modelos de produção em batalha. O agronegócio é responsável por movimentar bilhões na economia brasileira, e seu objetivo é o lucro.

A agroecologia visa a produção consciente com recursos internos e que promova o desenvolvimento rural sustentável. Um curso de agricultura aponta esse embate e mostra as vantagens e desvantagens desses modelos de produção.

Veja, de forma resumida, por que há uma “rixa” entre ambos:

Agricultura tradicional = desvantagens

 Agroecologia = vantagens

  • Seu modelo de produção é a monocultura, que esgota e degrada o solo;
  • Utiliza agrotóxicos e fertilizantes químicos = alto grau de toxidade;
  • Acaba com a diversidade;
  • Polui os recursos hídricos.
  • Possibilita a recuperação do solo, facilitando a reciclagem de seus nutrientes;
  • Ajuda a manter a biodiversidade, importante para a formação do solo;
  • Utiliza os recursos naturais de forma racional.

Um cenário ideal seria o agronegócio adotar as práticas da agroecologia, certo? Bem, veja o tópico a seguir - que também é parte de nosso curso online - e saiba o que vem sendo feito nesse sentido.

Cursos relacionados que podem te interessar:

Sustentabilidade ambiental no agronegócio

O governo federal, por meio do Ministério do Meio Ambiente (MMA), criou a Gerência de Sustentabilidade Ambiental do Agronegócio, que é um meio de diálogo com o setor produtivo, em busca da inclusão da perspectiva ambiental nos processos de produção do agronegócio.

Segundo o MMA, “práticas inadequadas nas cadeias produtivas ligadas à agropecuária causaram grande impacto ambiental no país”, e com a crescente demanda mundial por alimentos, o valor das commodities agrícolas tem se elevado, capitalizando o setor produtivo. Ou seja, é necessário continuar produzindo em larga escala, mas é fundamental que sejam implementados processos de monitoramento e controle da expansão agrícola para que a degradação ambiental seja reduzida e as atividades do agronegócio menos impactantes.

A Gerência de Sustentabilidade Ambiental do Agronegócio tem ações voltadas para:

  • O desenvolvimento e incorporação da variável ambiental nos processos de produção do agronegócio, desenvolvendo técnicas que objetivem a sustentabilidade ambiental da atividade e incorporando as que já existem;

  • O desenvolvimento de políticas públicas que direcionem para a diminuição de novas fronteiras agrícolas, a ocupação do território de forma ordenada e racional e a efetividade do cumprimento da legislação ambiental.

Além disso, a sustentabilidade nos meios produtivos faz parte de acordos internacionais, como a Agenda 30, da ONU e alguns países, inclusive o Brasil. A Agenda tem 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável – 17ODS e vários deles, sendo que o ODS2 é exclusivamente sobre a agricultura sustentável e erradicação da fome.

Por falar nas Nações Unidas, temos uma dica muito interessante: você sabe que trabalho voluntário é bastante valorizado em currículos? Pois é, e a ONU tem um Programa de Voluntários, tanto para o Brasil quanto para fora. Ligando a dica com o tema de nosso artigo: imagine o quanto o conhecimento que você adquirir por meio de um curso de agricultura familiar e de um curso de agricultura orgânica será útil e importante se você se candidatar ao trabalho voluntário na Organização das Nações Unidas ou em qualquer uma de suas ramificações. Para isso, conte com nossos cursos online com certificado e se qualifique – esteja pronto para ganhar o mercado de trabalho e o mundo.

A Agricultura Familiar

Segmento importante para o desenvolvimento do país e outro tópico do curso online do portal, a agricultura familiar é responsável por sete a cada dez postos de trabalho na área rural, segundo informações da Secretaria Especial de Agricultura Familiar e do Desenvolvimento Agrário. Esse dado é uma ótima motivação para quem quer se qualificar nesse segmento. Um curso de agricultura familiar dá os principais subsídios para familiaridade com a área e possibilita uma colocação nesse mercado, que emprega cerca de 80% de mão-de-obra.

Outra informação dada pela Secretaria é de que a agricultura familiar produz mais de 50% dos alimentos da cesta básica da população brasileira e que é um instrumento importante de controle da inflação de alimentos.

A agricultura familiar se caracteriza por ter na atividade produtiva agropecuária a sua principal fonte de renda e por compartilhar a gestão da propriedade pela família. Outra característica marcante do segmento é a diversidade na produção.

Políticas públicas para a agricultura familiar e desenvolvimento rural sustentável

O Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf) tem como objetivo viabilizar o desenvolvimento sustentável rural e é o principal apoiador da agricultura familiar.

O programa tem várias linhas de crédito para os sistemas de produção agroecológica. Os agricultores familiares podem conseguir créditos que atendam às suas necessidades – seja para custeio da safra, investimento em maquinário, infraestrutura e outros. Uma das exigências é que a renda bruta anual dos agricultores seja de até R$ 360 mil.

Os agricultores familiares precisam ter a DAP – Declaração de Aptidão ao Pronaf, que os reconhece como produtores rurais. Essa declaração permite o acesso a mais de 15 políticas públicas, como o Programa de Aquisição de Alimentos (PAA), Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE), Seguro da Agricultura Familiar, Programa Garantia da Safra e o crédito rural do Pronaf, entre outras.

A Lei que identifica os produtores rurais é 11.326, de julho de 2006, que considera “empreendedor familiar rural” quem pratica atividades no meio, tem até quatro módulos fiscais, mão de obra ou empreendimento da própria família e renda familiar proveniente do próprio estabelecimento.

O governo federal lançou também o Plano Safra 2017-2020, um conjunto de ações que visam fortalecer a agricultura familiar. O Plano tem 10 eixos de atuação, com ações para titulação e regularização fundiária, seguro da produção, segurança jurídica da terra, citando algumas.

Curso de Agroecologia

Outros tópicos tratados pelo curso de Agroecologia

Direito e Legislação Agrária e Ambiental

O Brasil possui um leque variado de leis ordinárias, complementares, medidas provisórias e decretos-lei sobre a preservação ambiental e a produção agrária. Apesar disso, o cumprimento da legislação ambiental pelos agricultores ainda é um grande problema – principalmente em relação à preservação de Áreas de Preservação Permanente e de Reserva Legal.

O Direito Agrário, responsável pela regulamentação das atividades agrárias, em muitos casos enfrenta dificuldades na defesa do desenvolvimento rural sustentável. Paulo Engel, mestre em Direito e autor da dissertação “A Teoria da Agroartificialidade e o uso de agrotóxicos no Brasil: uma releitura da tutela jurídica das águas subterrâneas”, diz que, em relação aos agrotóxicos, a legislação brasileira está “mais afinada com questões de princípios comerciais do que ecológicos”, uma colocação que comprova o fato anteriormente citado.

A legislação agrária e ambiental é bastante complexa. Abrange a terra (propriedade, Reforma Agrária etc), os trabalhadores (conceito de trabalho rural, direitos do trabalhador rural etc), minorias (indígenas e quilombolas) e os recursos (proteção de florestas, nascentes de rios etc), ou seja, legisla sobre todos esses aspectos.

A lei 9.985, de 18 de julho de 2000, por exemplo, trata da recuperação de áreas degradas, tópico do nosso Curso Online Agroecologia e próximo assunto do nosso artigo.

Uma dica para quem vai prestar concurso público para cargos relacionados a essa área: a legislação ambiental e agrária e o direito agrário merecem uma atenção bastante especial. Sabemos que a vida de concurseiro não é fácil e que o tempo é curto, portanto, considere cursos a distância como formas eficientes para lhe ajudar com o conteúdo.

Noções de recuperação de áreas degradadas

Há uma ciência chamada de “restauração ecológica”, que presta auxílio ao restabelecimento de ecossistemas degradados, destruídos ou danificados. Ligado a ela está a recuperação de áreas degradadas.

Por “recuperado” e “restaurado” definem-se os ecossistemas com recursos bióticos e abióticos necessários e suficientes para o seu desenvolvimento, sem que dependa de ajuda ou subsídios adicionais.

São fatores bióticos:

  • Produtores;

  • Macro e microconsumidores.

São fatores abióticos:

  • Solo;

  • Umidade;

  • Temperatura;

  • Oxigênio e demais gases; e outros.

O Ministério do Meio Ambiente promove regularização ambiental de imóveis rurais e pesquisas e ferramentas de adequação, com ênfase em Áreas de Preservação Permanentes (APPs) e na Reserva Legal (RL). Entre suas ações estão:

  • Implementação de Centros de Referência em Recuperação de Áreas Degradadas (CRADs) nos biomas;

  • Estabelecimento de métodos de recuperação de áreas degradadas para os biomas; 

  • Instituição de um plano nacional de recuperação de áreas degradadas, assim como de restauração da paisagem.

Sistemas agroflorestais

A Embrapa – Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária - desenvolve os SAFs: Sistemas Agroflorestais, que são utilizados para recuperar áreas degradadas e recuperar florestas.

A tecnologia também é preventiva, pode ser utilizada para minimizar os riscos de degradação, inerentes às atividades agrícolas. Além disso, ajuda a otimizar a produtividade. Os sistemas são consórcios de culturas agrícolas, formados por espécies arbóreas, utilizados como estratégia para evitar a erosão e para o aporte de matéria orgânica, ajudando, dessa forma, a fertilidade do solo.

Os certificados do Centro de Estudos e Formação podem ser usados para:


Prova de Títulos em Concursos Públicos

Horas complementares para faculdades

Complemento de horas para cursos técnicos

Progressão de carreira em empresas

Turbinar seu currículo

Revolucionar sua vida profissional e acadêmica

Qualifique-se em Agroecologia e fique atento ao mercado de trabalho

Um curso de agricultura e/ou um curso de agroecologia em seu currículo será essencial caso você se candidate a vagas em órgãos como Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO) ou ONU Meio Ambiente, por exemplo. Lembrando que o mercado de trabalho no campo da agricultura, meio ambiente e sustentabilidade se estende além das fronteiras do país, pois órgãos internacionais disponibilizam vagas em vários países. Multinacionais também direcionam interessados para postos de trabalhos no exterior.

Caso seus planos sejam realizar concurso público e atuar junto a órgãos brasileiros, como INCRA, Embrapa, Ministério do Meio Ambiente ou Ministério do Desenvolvimento Agrário, entre outros, nossos cursos online com certificado lhe dão um forte embasamento sobre agroecologia. Os Institutos Técnicos Federais lançam frequentemente editais para a contratação de professores para o seu curso de agroecologia, outro concurso público bastante atrativo e disputado.

O curso online Agroecologia também ajuda profissionais que atuam ou pretendem atuar no agronegócio. Considerando que a tendência é, cada vez mais, o setor produtivo agrícola ir em direção ao desenvolvimento rural sustentável, agrônomos, topógrafos, geógrafos, cartógrafos, zootecnistas, técnicos agrícolas e todo mundo que atua na área deve estar em constante atualização.

Para finalizar este tópico: se você tem vontade de fazer um curso de agricultura familiar ou de agroecologia, apesar desse não ser o seu campo de atuação, pense em duas coisas: conhecimento nunca é demais e o que você aprender nesses cursos online pode ser adaptado para a sua vida. Ao conhecer técnicas de plantio sustentáveis e formas de reaproveitamento e reciclagem de matéria orgânica, por exemplo, você poderá utilizar esses conhecimentos em uma horta caseira. Mesmo que seja em potes, vasos ou caixas – você cultivará alimentos saudáveis, sem prejudicar a sua saúde e o meio ambiente.

Faça cursos online no Centro de Estudos e Formação

O Centro de Estudos e Formação disponibiliza a você os melhores cursos online do mercado, atestados por mais de 120 mil alunos que já passaram por aqui. O portal oferece centenas de cursos a distância elaborados por um departamento pedagógico exclusivo. Com um conteúdo de qualidade e constantemente atualizado, nossos cursos online com certificado preparam os cursistas para os diversos desafios do mundo do trabalho. A certificação é opcional e o aluno pode escolher a carga horária para ser avaliado, de 5h a 360h.

O investimento, uma taxa única de R$ 69,90 (sem mensalidades), dá direito ao acesso durante um ano inteiro, podendo o aluno fazer todos os cursos do Pacote Master. Faça a sua inscrição, comprove todos esses benefícios e comece a se qualificar agora mesmo.

Compartilhe nosso artigo com amigos e colegas e nos deixa a sua opinião, ela é bastante importante. Até breve.