O transtorno desafiador opositivo é, atualmente, um dos transtornos mais estudados dentro da área da educação, tendo em vista que é extremamente delicado lidar com um aluno que tem esse diagnóstico. O maior problema está em conseguir se relacionar de forma que não prejudique o resto da turma, mas de forma que também não prejudique a aprendizagem do aluno.

No CID 10 que é a Classificação Internacional de Doenças, o   transtorno desafiador opositivo é citado como Distúrbio desafiador e de oposição. O transtorno desafiador opositivo (TDO), também pode ser chamado como transtorno opositivo desafiador (TOD); transtorno de oposição desafiante (TOD);  transtorno desafiador de oposição (TDO);  transtorno desafiador e de oposição (TDO) e transtorno opositor desafiado (TOD) ou simplesmente de TDO ou TOD. A criança com o transtorno, tende a ter um comportamento agressivo, o que dificulta muito a socialização dela com outros colegas de sala de aula.

O Centro de Estudos e Formação entende que esse tema é muito complexo e deve ser levado a sério e, por isso, criou um curso online para falar sobre tudo que abrange esse transtorno, desde quais suas principais características até como tratar sua causa, o Curso Online Transtorno Desafiador Opositivo.

Quer saber mais sobre o transtorno desafiador opositivo, como lidar essas crianças e sobre nossos cursos online com certificado? Continue lendo nosso artigo!

Dicas para lidar com uma criança com transtorno desafiador opositivo

Uma criança com transtorno desafiador opositivo precisa de uma atenção especial, tendo em vista que é uma relação que necessita de muita calma e amor, afinal, a criança já tende a ter baixa estima e um complexo de inferioridade. A partir do momento que a criança recebe exatamente as cobranças de maneira igual aos outros alunos da sala de aula, ou até mesmo de casa, a criança terá problemas em responder de forma positiva, normalmente se tornando agressiva e ficando extremamente chateada.

Além disso, é necessário demonstrar que você, seja pai ou seja professor, está ali para apoiá-la e fazer o bem, para que a criança se sinta amparada e tenha um porto seguro dentro do meio de convivência.

Sabemos que é muito raro ter toda a paciência necessária que uma criança com transtorno desafiador opositivo demanda, mas sempre devemos ter em mente que existe uma pessoa tentando se expressar, e que nosso papel deve ser de compreender e tentar modificar o comportamento opositor.

Além do Curso Online Transtorno Desafiador Opositivo, nosso portal oferece muitos outros cursos online com certificado, para que você possa sempre estar buscando novos conhecimentos e se aperfeiçoando na sua área de interesse! E o melhor de tudo é o que no Centro de Estudos e Formação você investe apenas R$ 69,00 por ano e tem acesso a todos os nossos cursos a distância do Pacote Master.

Cursos relacionados que podem te interessar:

O primeiro passo a dar, é conhecer a fundo o transtorno que a criança tem, para conseguir compreender as emoções e os comportamentos da mesmas.

Principais características da criança com transtorno desafiador opositivo

Segundo o Manual Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais, o TDO é um Transtorno Disruptivo, do Controle de Impulsos e da Conduta, ou seja, o transtorno é caracterizado pela falta de controle das emoções e comportamentos.

Se você se interessa por essa área de transtornos e comportamentos, conhecida como psicopedagogia, não pode deixar de fazer nosso Curso Online Transtornos Globais do Desenvolvimento (TGD), que busca trazer informações valiosas sobre esse tipo de transtornos e até mesmo soluções e o melhor de tudo é que é tudo oferecido na forma de curso online.

As principais características do comportamento opositor são: perder a paciência, discutir com adultos facilmente, desafiar constantemente e não obedecer às solicitações dos adultos, fazer coisas para aborrecer outras pessoas de propósito, não assumir seus erros ou mau comportamento, colocando a culpa em outros, ser facilmente aborrecida pelos outros, demonstrar raiva ou ressentimento e ser rancorosa ou vingativa.

De forma mais clara, podemos dizer que conviver com uma criança com o transtorno desafiador opositivo é um tanto quanto complicado, tendo em vista que a criança, na maioria das vezes, não aceita ordens. Normalmente, os sintomas iniciais aparecem no período da pré-escola e muito raramente na entrada da adolescência, e, em maior parcela, em crianças do sexo masculino. O comportamento opositor é acompanhado do transtorno de déficit de atenção e hiperatividade, conhecido como TDAH em cerca de 50% dos casos.

O TDAH é um transtorno crônico que tem como sintomas: falta de atenção, desinteresse, impulsividade e inquietude, tornando o diagnóstico ainda mais complicado de se lidar. Se você quer saber mais sobre o tema, o Centro de Estudos e Formação auxilia você com os nossos cursos online, especificamente o Curso Online TDAH - Transtorno por Déficit de Atenção e Hiperatividade.

Ou seja, é necessário ter uma grande preparação por parte da escola e do professor para receber uma criança diagnosticada com TDO, tendo em vista que ela precisará de mais atenção, paciência e carinho.

Muitas vezes, pelo fato da criança com TDO ser agressiva, ela pode ter problemas em criar laços sociais, tendo problemas em criar amizades e podendo até mesmo ser vítima de bullying, o que torna o processo de aprendizado ainda mais difícil para o estudante. O nosso portal leva o bullying a sério e criou um dos seus cursos a distância para ajudar o professor nesse complicado processo, o Curso Online Bullying nas Escolas.

transtorno desafiador opositivo

O transtorno desafiador opositivo e a família

É necessário que a família tenha um bom relacionamento, para que ela consiga achar apoio e suporte para a criança. Também devemos ressaltar a maneira que a dinâmica familiar acontece, sendo importante haver diálogo, esclarecimento de dúvidas e, por fim, conseguir ajudar a criança ou adolescente com seus problemas.

A família tem o papel de oferecer um ambiente harmonioso, com bons exemplos e em que a criança se sinta à vontade para que o transtorno possa regredir. Uma criança que cresce em uma família saudável, unida e com pais presentes tem menos possibilidades de manifestar comportamento opositor. Logo, se a família tem um caráter oposto a esse, é mais provável que o transtorno se manifeste.

É necessário que a família seja o suporte emocional dessa criança, sempre tendo atitudes positivas e frisando o valor da criança. Sabemos que isso pode não ter uma tarefa fácil, afinal, uma criança com transtorno desafiador opositivo pode exigir muita atenção, o que nem sempre é fácil de ser dada, por isso, divida as tarefas com seus familiares.

Além disso, a família também pode procurar ajuda de um psicólogo, que pode ajudá-los a compreender e aceitar seu filho do jeito que é. O psicólogo, por sua vez, irá indicar um tratamento psicoeducativo, onde irá trabalhar o enfrentamento e a convivência da família com a criança com TDO.

É importante ressaltar que é o papel da família não é apenas passar a mão na cabeça da criança, faz parte do papel dela conversar sobre as atitudes tomadas, a fazer entender que ela é responsável pelas suas atitudes e oferecer alternativas para resolução de problemas.

Por exemplo, os pais podem ensinar maneiras para seu filho expressar seus sentimentos sem haver a necessidade da agressividade, como expressar seus sentimentos em palavras, respirar fundo, contar até 10 e até mesmo ensiná-lo a pedir ajuda quando sente que vai perder o controle. É essencial que os pais deixem claro as regras e os limites estabelecidos pela família, que sejam sempre exemplos de positividade e paz e que o filho consiga estabelecer um laço de confiança e de amizade com os mesmos.

Outro ponto muito importante é melhorar a comunicação em geral na família, sempre fazendo contato visual, falando de forma clara e calma e tentando não o repreender por erros já cometidos.

Segundo Teixeira, no livro O Reizinho de Casa, estímulos positivos tendem a ter uma reação muito boa em crianças com transtorno desafiador opositivo, ou seja, é necessário elogiar de forma bem enfatizada quando a criança tem uma atitude correta, pois assim, se torna mais provável que ela continue fazendo.

Já quando falamos sobre estímulos negativos, a violência nunca deve ser utilizada! A criança sempre usa os pais como exemplos, então se o pai começa a usar violência física, ou até mesmo verbal, a criança entenderá que esse tipo de comportamento é aceitável e irá reproduzir. O que deve ser feito é demonstrar que ficou chateado com certa situação é uma boa opção e também o uso de privações de diversão, como ficar sem ver TV ou sem usar o computador.

Se você quiser saber mais sobre a criança com TDO e sua relação com a família, não esqueça de conferir no nosso curso online que reúne em um só local todo o material sobre esse transtorno que está cada vez mais presente na educação, o Curso Online Transtorno Desafiador Opositivo .

O Centro de Estudos e Formação oferece cursos online de altíssima qualidade pensando na sua formação e qualificação, para que você esteja sempre preparado e atualizado para o atual mercado de trabalho. E o melhor de tudo é que são todos cursos online com certificado, para que você consiga dar uma turbinada no seu currículo!

Os certificados do Centro de Estudos e Formação podem ser usados para:


Prova de Títulos em Concursos Públicos

Horas complementares para faculdades

Complemento de horas para cursos técnicos

Progressão de carreira em empresas

Turbinar seu currículo

Revolucionar sua vida profissional e acadêmica

O transtorno desafiador opositivo e a escola

O professor, dentro do seu trabalho, deve buscar ter uma relação pessoal com os seus alunos, para conseguir conhecê-los e fazer observações em relação ao seu comportamento, sendo de extrema importância que o professor entenda que há uma diferença no comportamento normal da criança com TDO quando comparado aos outros.

O primeiro passo a ser dado é buscar ter uma boa relação entre a escola e os pais da criança, pois dessa forma pode acontecer trocas de dicas de atividades que o aluno responde bem e as que o aluno responde mal.

Veja bem, não estamos responsabilizando os pais pela educação no colégio e nem o contrário, estamos dizendo que ter uma boa relação com todo o meio que a criança convive tende a ser muito bom, não apenas para tornar a convivência mais fácil dos professores ou pais, mas para que a criança seja compreendida no meio que está inserida.

Muitas vezes os pais conseguem dar orientações para que os professores lidem melhor com o aluno com comportamento opositor, afinal, quem convive mais tempo com a criança são os pais. Mas, os professores também podem mostrar algumas práticas pedagógicas que auxiliem nessa convivência.

O professor pode conseguir um grande progresso  na construção do conhecimento do aluno com ajuda dos pais e da escola e por isso é tão importante haver essa união e interação entre esses dois meios que são de extrema importância para o aluno.

Mas, independente da relação com os pais, os professores devem sempre buscar atividades que promovam a socialização do aluno com os colegas, ajudando e dando suporte quando necessário.

Também é recomendado que o aluno seja valorizado e que sempre haja diálogo com a criança com transtorno desafiador opositivo, para que o aluno se sinta ouvido e inserido nesse meio.

Sobre estímulos positivos, vale o mesmo conselho dado para os pais, estímulos positivos nunca serão demais e devem, sim, fazer parte do dia do aluno na escola. Já quando falamos sobre os negativos, o mesmo também vale, devem ser feito de forma dialogada, nunca de forma agressiva ou taxativa.

O transtorno desafiador opositivo tende a ser bem delicado de lidar, tanto para pais quanto para professor, mas acreditamos que com essas dicas você conseguirá regredir esse problema, fazendo a criança se superar!

Lembre-se sempre que é necessário levar em consideração os sentimentos da criança, ter paciência, muito amor e sempre focar na comunicação entre os pais e a escola, para que a criança tenha um cotidiano que se sinta inserida e desejada.

Se você é professor, não esqueça de como seu papel é essencial nessa história, pois você pode fazer o ambiente escolar se tornar algo positivo, já trazendo uma grande diferença na vida do aluno, que entenderá os conteúdos e ainda por cima estará socializando, o que é de extrema importância nesse transtorno.

Se você é pai de uma criança com transtorno desafiador opositivo, pense sobre como está a estrutura da sua família e que exemplo você está dando, claro que tende a ser complicado, mas você deve sempre ter em mente que a criança será um reflexo direto do que vivencia, então se ela vive rodeada de brigas e discussão, tenderá fazer o mesmo.

É essencial, tanto dentro de casa quanto na escola, criar um ambiente que de um exemplo de harmonia, socialização e diálogo, para que a criança consiga mudar de atitude, idéia e comece a realmente fazer um progresso.

Temos que sempre lembrar que uma criança diagnosticada com TDO, vai muito além do seu comportamento opositor. É uma criança que tem problemas para expressar seus sentimentos, se sente inferiorizada e diminuída por todos, e cabe a você, seja professor ou pai, fazer com que a criança se sinta melhor e consiga expressar seus sentimentos de forma diferente.

Nosso portal já foi aprovado por mais 120 mil alunos e está esperando por você, comece agora mesmo a se aprimorar através dos nossos cursos online que são conhecido nacionalmente pela sua qualidade e excelência. Além disso, todos são oferetados como cursos a distância com o processo de certificação opcional, para que você estude onde e quando quiser.

Bastante informação para ser absorvida em apenas um post, né? Se você quiser saber mais não se esqueça de se inscrever no nosso portal. E se você gostou do assunto e quer saber mais, não esqueça de fazer nosso Curso Online Transtorno Desafiador Opositivo .