A hipertensão arterial é uma doença silenciosa. Ela chega sem que a gente perceba e, aos poucos, sentimos suas consequências. No mundo todo, de acordo com a OMS (Organização Mundial da Saúde) cerca de 1 bilhão de pessoas sofrem com o problema, que também pode ser chamado de pressão alta.

Por ser uma doença comum, talvez você conheça alguém que a tenha, ou pelo menos já deve ter visto campanhas de prevenção nas ruas e nos meios de comunicação. Agora, essa luta conta com a ajuda de cursos online sobre o tema. O Centro de Estudos e Formação apresenta o Curso Online Hipertensão Arterial, que busca desmistificar a doença e capacitar os alunos acerca do diagnóstico e dos tratamentos possíveis.

Quando o assunto é pressão alta vem à tona inúmeras dúvidas muito comuns. Afinal de contas, quais são os principais vilões dessa doença que acomete tantas pessoas no mundo todo? Como reconhecer os sinais? Quais as consequências que ela traz para a saúde?

É importante descobrir tais respostas para ajudar nós mesmos e outras pessoas, além de garantir uma formação mais especializada no assunto e conseguir bons resultados na carreira. Quem é que não deseja isso? Para te auxiliar nessa missão, vamos discorrer sobre tudo isso neste artigo e dar dicas de como se capacitar em cursos à distância, não deixe de acompanhar!

O que é hipertensão arterial?

Pense em seu coração como uma grande torneira. Esta, quando aberta, esguicha o sangue para diversos canos – suas veias e artérias - e quando algum ou vários deles são obstruídos de alguma forma, a pressão aumenta dentro da tal torneira. É o início da hipertensão dentro do organismo, uma doença crônica perigosa, mas que pode ser controlada com mudança de hábitos.

De acordo com a Sociedade Brasileira de Hipertensão uma pessoa é considerada hipertensa quando apresenta a pressão sanguínea igual ou maior a 14 por 9. A pressão arterial ideal seria em torno de 12 por 8, medida que oferece menos riscos de doenças cardiovasculares e, consequentemente, mais qualidade de vida.

Esses números caracterizam os tipos de pressão que são calculados. Há a pressão arterial sistólica, que corresponde à medição no momento em que o ventrículo esquerdo bombeia o sangue para a veia aorta, cujo valor normal deve estar entre 120 a 140 mmHg. E há a pressão diastólica, que é calculada quando o mesmo ventrículo recebe todo o sangue novamente para seguir com a circulação e o resultado normal é de 80 mmHg.

É importante entender que sem a pressão devida, o sangue não é bombeado corretamente para todo o organismo. E é essencial que cada milímetro dele tenha circulação sanguínea. Sem isso, dizendo de uma forma bem básica, você poderá sentir a parte do corpo sem sangue dormente ou com o famoso “formigamento”.

Essa dormência, no entanto, não se apresenta como um dos sintomas da doença. Na realidade, a hipertensão arterial não apresenta sinais – como falamos no início do artigo, é silenciosa. Nem mesmo a dor de cabeça, que antes se acreditava estar ligada à hipertensão, é considerada um indício.

Um fato que preocupa é que, quando surgem sintomas, os órgãos mais importantes já estão atacados. E aí nesse caso, a pessoa pode sentir falta de ar, inchaço nas pernas e dor no peito. Além destes, é possível que haja zumbido no ouvido, fraqueza, visão embaçada e sangramento no nariz. Com o aparecimento dos primeiros sinais é preciso procurar um médico imediatamente.

Consequências da hipertensão arterial

Se no mundo há 1 bilhão de hipertensos, só no Brasil 30 milhões de pessoas convivem com o problema, conforme indicam os dados do Ministério da Saúde de 2015. Para esses brasileiros, hábitos do dia a dia devem ser revistos para não entrar nas estatísticas negativas dos efeitos causados por essa disfunção.

Quando está alta, a pressão arterial ataca órgãos vitais como o coração e vasos, conforme falamos acima, e ainda os rins e o cérebro. A circulação sanguínea ocorrendo em alta tensão provoca uma lesão nas veias, e estas, por sua vez, com o passar do tempo ficam mais rígidas e estreitas, resultando em entupimento ou até mesmo em rompimento.

É aí que está o grande problema. Quando uma veia se obstrui ou se parte, a pessoa pode sofrer consequências de acordo com o local em que ocorrer, e todas são consideradas graves. Um vaso lesionado no coração, por exemplo, provoca o infarto agudo do miocárdio. Antes disso, pode ocorrer o entupimento das veias coronárias, problema denominado de angina, que também faz uma pessoa enfartar.

Outro dano que uma pessoa com pressão alta pode sofrer é o AVC (Acidente Vascular Cerebral) ou derrame cerebral, no caso de uma veia se entupir ou se romper no cérebro. Além disso, quando o problema ocorre nos rins, o funcionamento do órgão é prejudicado, ou seja, você não terá seu sangue filtrado corretamente, podendo ter até alguns órgãos paralisados.

Todas essas consequências são gravíssimas, mas ocorrem com muito mais frequência do que se imagina. Segundo dados de 2014 do DATASUS (Departamento de Informática do SUS) o infarto agudo do miocárdio é a primeira causa de mortes no País. Estima-se cerca de 100 mil óbitos a cada ano por infarto.

Quanto ao AVC, de acordo com dados do Ministério da Saúde exibidos pela Rede Globo, anualmente, no Brasil, 15 mil pessoas entre 15 e 39 anos de idade sofrem com o problema, que pode levar ao óbito e a sequelas irrecuperáveis. A faixa etária em questão mostra o quão alarmante é a situação, pois já representa 10% do total de casos.

No módulo I do Curso Online Hipertensão Arterial há uma explicação aprofundada sobre o que é, de fato, a doença. É um tópico introdutório embasado e preparado por equipe especializada.

Estudantes e profissionais da área da saúde podem utilizar o conhecimento adquirido nos cursos à distância sobre hipertensão arterial para progredir na carreira. Agentes de saúde, farmacêuticos, enfermeiros, educadores físicos, entre outros aprenderão como devem agir ao presenciar alguém com dores como as que foram citadas, por exemplo, ou que precise medir a pressão urgentemente.

Hipertensão: causas e prevenção

Primeiramente, para descobrir como cessar as chances de ter problemas como infarto agudo do miocárdio, derrame cerebral, distúrbios renais, arritmia cardíaca, aneurisma, entre outros, é preciso ter o conhecimento das possíveis causas.

Vale lembrar que só um médico a partir de exames precisos, poderá fazer esse diagnóstico para você ou qualquer outro paciente. Mas conhecer as hipóteses é uma das melhores formas de se fazer uma detecção rápida. No módulo II do Curso Online Hipertensão Arterial, inclusive, é evidenciado tudo sobre o diagnóstico e causas da pressão alta de maneira mais completa.

Realizar cursos online para se inteirar de um a doença que afeta grande parte da população é um método eficaz de se ajudar e também ajudar muitas pessoas próximas a você, e caso seja da área de saúde e essa não seja a sua especialidade, você poderá prestar algum auxilio a quem possa. Afinal, reconhecer rapidamente que uma pessoa sofre com o problema pode salvar a vida dela.


Principais fatores de risco para a hipertensão

Para que você entenda melhor, vamos expor por aqui alguns fatores que influenciam o acometimento da hipertensão arterial. Esse também é um tópico essencial para profissionais, pessoas que sofrem com pressão alta e demais interessados em entender todos os indícios do surgimento dessa doença e que é abordado em cursos à distância efetivos. Confira as principais causas:

Histórico Familiar

Segundo a Biblioteca Nacional em Saúde, do Ministério da Saúde, 90% dos casos de pressão alta são provenientes da herança genética. O médico Dráuzio Varella, expõe em seu site, que o histórico familiar influencia bastante. Para ele, se um dos pais forem hipertensos, a chance de o filho ter o problema é de 25%; se os dois pais tiverem hipertensão, a probabilidade é bem maior: 60%.

Por isso é importante utilizar o medidor de pressão para checar os valores pelo menos uma vez por ano. É inegável a importância desse aparelho e seu manuseio correto é imprescindível para fazer um diagnóstico preciso.

Idade

Além de crônica, podendo durar anos ou a vida toda, a hipertensão é uma doença democrática: qualquer pessoa pode ser acometida, até mesmo crianças e jovens. Entretanto, nessa fase da vida, um diagnóstico certeiro só poderá ser feito com 35 anos de idade. Aos 50 anos, pasme, quase metade da população é detectada com pressão alta, e aos 70, a média sobe para 70%. É uma estimativa alarmante, não é mesmo? Se você trabalha no cuidado com idosos, seja em casa ou em ambientes especializados, precisa conhecer a fundo essa doença que atinge bastante as pessoas da terceira idade, e com cursos online com certificado você estará apto a ajudá-los da melhor forma possível.

Tabagismo

Todos sabem que fumar não faz bem à saúde. O hábito, entre outros problemas, promove o desencadeamento e agravamento de condições como a hipertensão arterial e o diabetes, matando, segundo o Instituto Nacional do Câncer (INCA), cerca de 200 mil pessoas no Brasil e 5 milhões no mundo todo. A SBC diz que os benefícios de largar o tabaco são inúmeros e imediatos, veja a cronologia de uma pessoa que decide parar de fumar:

• Após 20 minutos sem cigarro a pressão e a pulsação voltam ao normal.

• Depois de 2 horas já não há mais nicotina na circulação sanguínea.

• Entre 12 e 24 horas os pulmões já apresentam melhor funcionamento.

• No segundo dia sem fumar, o olfato e paladar se estabilizam.

• Após 1 ano o risco de morte por infarto agudo do miocárdio já reduz pela metade.

• Entre 5 e 10 anos a chance de infarto é igual ao de uma pessoa que nunca fumou.

Obesidade 

A Pesquisa Nacional de Saúde (PNS), realizada em 2015, afirma que 56,9% dos brasileiros com maior de 18 anos estão acima do peso, o que equivale a 82 milhões de pessoas. O resultado, segundo o órgão, se dá por conta da mudança no padrão de alimentação e na dedicação às atividades físicas. Isso indica que o brasileiro não está se alimentando de forma saudável e está sedentário. Essas duas características do estilo de vida fazem aumentar a circunferência abdominal e essa medida está associada a doenças crônicas como diabetes e hipertensão, facilitando a ocorrência de doenças cardiovasculares.

Perder peso é sempre uma ótima ideia para diminuir o risco de hipertensão arterial. A cada 1kg de peso eliminado, a pressão do hipertenso cai de 1,3mmHg a 1,6mmHg em média.

Má alimentação

Um dos fatores internos para o surgimento da hipertensão é a má alimentação. Sabemos que a correria do dia a dia impede, muitas vezes, que façamos refeições completas, e para dar tempo de fazer tudo, recorremos a lanches prontos e comida industrializada. De acordo com o Guia Alimentar para a População Brasileira, elaborado pelo governo federal em 2014, a hipertensão arterial está relacionada à ingestão excessiva de calorias e ao desiquilíbrio de nutrientes ao se alimentar e essa é uma tendência que tem aumentado rapidamente em países economicamente emergentes como o Brasil.

O documento sugere uma dieta rica em alimentos in natura, ou seja, com frutas, verduras e legumes, além de grãos e sementes. Essas e outras dicas mais específicas sobre qual a alimentação para evitar que a pressão suba você também pode conseguir realizando cursos EAD em hipertensão. Essas informações são indispensáveis para profissionais de saúde, estudantes e ou pessoas que querem modificar seu estilo de vida.


Sedentarismo

Da mesma forma que uma alimentação balanceada, a prática de exercícios físicos promove benefícios a todas as pessoas. Segundo a Organização Mundial de Saúde, em cartilha distribuída pelo INCA, esse hábito saudável, quando praticado regularmente (três vezes por semana, no mínimo), pode reduzir o risco de mortes prematuras por distúrbios do coração, AVC, diabetes, diversos tipos de câncer, e também na prevenção ou redução da hipertensão arterial.

Ao fazer cursos online com certificado sobre o assunto profissionais da área da saúde vão aprender mais acerca da vantagem das atividades físicas e passar esse saber para quem precisa. Entre os módulos do Curso Online Hipertensão Arterial aqui do portal, por exemplo, há um que trata exatamente dos exercícios físicos como fator de prevenção e tratamento da pressão alta por meio deles. É uma dica para aprender com dados comprovados e garantir certificação em um setor tão importante quanto o da saúde.

Estresse

Em um primeiro momento pode parecer um exagero para você, mas sim, o estresse é um dos fatores que podem ocasionar o surgimento de hipertensão. A tensão da rotina se acumula e pode impactar sua saúde negativamente. Essa é uma causa tão comum, que você também encontra informações a respeito nos cursos online sobre o tema para ter artifícios para orientar outras pessoas e melhorar sua própria vida.

Segundo o psiquiatra Daniel Barros e o clínico geral Salim Helito, em entrevista à Rede Globo, o estresse é uma reação natural a qualquer pessoa que passa por uma sobrecarga no dia a dia, entretanto, a longo prazo pode desencadear doenças, incluindo a pressão alta. Nesse caso, o paciente é auxiliado a separar um tempo para relaxar, deixando a pressão diária de lado.

Use o medidor de pressão para um diagnóstico rápido

Além de estar em alerta para as principais causas da hipertensão e realizar modificações em seu estilo de vida, é importante reconhecer que a regularidade das medições de pressão é essencial para controlar a doença, caso você já conviva com ela, e para descobri-la precocemente, caso ainda não tenha um diagnóstico.

Mas como medir a pressão? Bom, é possível fazer isso em uma farmácia, por exemplo, pois é uma ação permitida pela Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária). De acordo com a Lei 9.782/99, só é exigido que os equipamentos utilizados sejam previamente registrados ou cadastrados no órgão regulador. Postos de saúde também realizam aferição de pressão e os próprios médicos podem fazer isso durante uma consulta, caso necessite ou o paciente solicite.

Existem ainda, alguns aplicativos que prometem aferir a pressão arterial, entretanto, conforme pesquisa da Sociedade Americana de Hipertensão, veiculada no site da Veja, muitos destes programas não são confiáveis por não terem passado por testes científicos, podendo apresentar resultados errados. Portanto, é preciso cuidado antes de baixar alguns deles no smartphone.

É possível também descobrir a incidência de uma hipertensão arterial sem precisar ir até uma farmácia ou posto de saúde. Com um medidor de pressão certificado pelo INMETRO dá para conferir se a pressão está maior ou menor que 12/8. Como dissemos anteriormente, essa é tida como a pressão arterial ideal. E lembre-se: se estiver maior que esse valor, é preciso procurar um médico para fazer uma avaliação mais precisa.

Cursos EAD sobre hipertensão podem te auxiliar em como fazer um pré-diagnóstico em casa utilizando seu próprio medidor de pressão. A capacitação que oferecemos no Centro de Estudos e Formação tem um módulo voltado para exemplificar como é feita a detecção da doença, um ponto crucial para quem precisa se atualizar no assunto.

Os certificados do Centro de Estudos e Formação podem ser usados para:


Prova de Títulos em Concursos Públicos

Horas complementares para faculdades

Complemento de horas para cursos técnicos

Progressão de carreira em empresas

Turbinar seu currículo

Revolucionar sua vida profissional e acadêmica

Aprofunde-se no tema e ajude a salvar vidas

É como diz o senso comum: com saúde não se brinca. Por isso é sempre importante se manter atualizado, seja com livros, notícias nos variados meios de comunicação, palestras e cursos online, que podem te oferecer uma boa base para o seu próprio conhecimento e claro, repassá-lo para quem mais precisa.

A SBH entende que, apesar da medição de pressão ser um procedimento simples, existem algumas particularidades que precisam ser respeitadas quando se trata de profissionais da área da saúde. Ela recomenda que trabalhadores desse setor tenham certificação e conhecimento das técnicas padronizadas para melhor atender a população.

Viu só? Cursos EAD sobre hipertensão arterial também podem promover uma enorme mudança em seu currículo. Se você é profissional de enfermagem, de alguma área da medicina ou de farmácia, cuidador de idosos ou educador físico pode aproveitar o conteúdo do Curso Online Hipertensão Arterial para se qualificar e crescer profissionalmente.

Além disso, estudantes de graduação ou ensino técnico podem fazer cursos online com certificado como atividades complementares.

Adquirir novos conhecimentos é sempre bom e quando se trata de saúde pode impactar positivamente muitas vidas, além da sua. Isso é muito gratificante. Que tal descobrir mais sobre o tema? Faça já sua inscrição em nosso portal e veja como é simples, porém muito eficaz!

Agora queremos saber: o que achou do tema abordado neste artigo? Tem alguma dúvida sobre nosso curso de hipertensão ou algum outro de nossa grade? Você pode utilizar a seção de comentários abaixo para nos questionar ou expor sua opinião. Fique tranquilo que nós responderemos o mais rápido possível. Até mais!