Mesmo que ainda não existam números oficiais, estima-se que há pelo menos 2 milhões de pessoas com autismo no Brasil, de acordo com dados da Universidade de São Paulo - USP, com base no CDC, órgão estadunidense, que estabelece pelo menos um caso a cada 110 indivíduos.

Mas, mesmo com esse grau elevado, muita gente não tem noção do que se trata esse transtorno: como ele vai se desenvolvendo, possíveis sinais e suas causas, os tratamentos que existem e as maneiras de como lidar com autistas no cotidiano, seja na escola, no trabalho ou qualquer meio social.

Por outro lado, o que se vê, felizmente, é um esforço de muitas instituições, profissionais e até da mídia em tornar o assunto popular. O autismo foi tratado pela primeira vez em uma novela, Amor à Vida (2013), da Rede Globo, num papel emblemático da atriz Bruna Linzmeyer. Essa visibilidade serviu para trazer o tema à discussão e levou muitas pessoas a buscarem informação, com materiais completos, guias de entidades, palestras e cursos online.

Nessa linha, há muito que ser desbravado para um pleno entendimento, e isso vale para todos, inclusive para educadores, profissionais da área da saúde, assistência social, direito, administração, recursos humanos, entre outras diversas. O Centro de Estudos e Formação, por exemplo, possui o Curso Online Autismo pronto para isso, além de uma série de cursos online com certificado do gênero que fazem a diferença tanto em aspectos profissionais quanto pessoais de qualquer indivíduo.

Com base nesse material e para desmitificar muitos conceitos, preparamos este artigo com questões gerais e principais para que todos entendam o que é autismo e como aprender mais sobre esse tema tão necessário. A partir desses dados, com certeza você se sentirá instigado e pronto para saber tudo sobre o tema fazendo os cursos à distância do portal. Vamos começar?

 O que é autismo?

Conhecido também como Transtorno do Espectro Autista, trata-se de um distúrbio neurológico do desenvolvimento que começa, em grande parte, nos primeiros três anos de vida, caracterizado por problemas de comunicação, interação social e comportamento repetitivo ou restrito.

Segundo a última e mais atualizada versão do Manual Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais (DSM-V), lançado em 2013, tanto o autismo complexo quando a Síndrome de Asperger, considerada um tipo de autismo leve, começaram a ser classificados como Transtorno do Espectro do Autismo (TEA).

Esse transtorno é caracterizado, de acordo com o manual, por um conjunto de desordens complexas do desenvolvimento do cérebro, com “déficits persistentes na comunicação social e na interação social em múltiplos contextos, atualmente ou por história prévia''.

Sendo assim, independente se for um autismo leve ou mais sério, as dificuldades serão praticamente as mesmas, o que mudará é a intensidade em que ocorrem e como afetam as pessoas nessa condição. Em algumas crianças, por exemplo, a manifestação é rápida e latente, fácil de perceber pelos pais. Já em alguns casos, os sinais demoram a aparecer ou são bem sutis, podendo evoluir ao longo do crescimento.

Tanto por isso, para ajudar a identificar o que é autismo, os pais devem estar sempre atentos ao comportamento de seus filhos e, ao verificar qualquer sinal, procurar um médico para saber o diagnóstico correto. Em todo caso, é bom esclarecer: uma criança que nasce autista torna-se um adulto autista, portanto, desde a descoberta da condição, é necessário trabalhar vários aspectos e especificidades próprias.

A conceituação e a classificação do autismo infantil é fundamental para que desde cedo os pais e as pessoas ao redor possam ser orientados corretamente sobre como lidar com o filho com esse transtorno. Nesse caso, a informação é o melhor caminho sempre, por isso o Curso Online Autismo foi desenvolvido pelo nosso portal. Esse é um dos cursos à distância mais efetivos e completos sobre assunto, ideal para os interessados de todas as áreas em aprender sobre esse tema sério.

Cursos relacionados que podem te interessar:

Quais os principais sintomas/sinais?

Segundo a organização Autismo e Realidade, existem vários graus de sintomas e sinais que podem se manifestar na criança, independente se for um autismo leve e com poucos sinais ou um transtono mais complexo e com comportamentos mais latentes. 

Em geral, a entidade diz que ‘’o TEA pode ser associado com deficiência intelectual, dificuldades de coordenação motora e de atenção. Às vezes, as pessoas com autismo têm problemas de saúde física, tais como sono e distúrbios gastrointestinais e podem apresentar outras condições, como síndrome de déficit de atenção e hiperatividade, dislexia ou dispraxia. Na adolescência podem desenvolver ansiedade e depressão’’.

Para um autista, as dificuldades de aprendizagem permanecem ao longo da vida e podem ser vistas em níveis mais leves ou complexos, incluindo os estudos ou atividades básicas cotidianas, como tomar banho ou preparar uma refeição. Algumas pessoas que desenvolvem a Síndrome de Asperger em grau leve também podem viver normalmente, praticamente sem sinais, necessitando apenas de um acompanhamento profissional ocasionalmente.

Felizmente, hoje em dia já é possível notar os primeiros problemas de interação logo na amamentação. Se o bebê mostra desinteresse em mamar ou uma criança começa a agir como se não escutasse ou sem olhar diretamente nos olhos dos adultos, já são consideradas algumas ações que caracterizam o TEA. Confira outros comportamentos típicos que geralmente estão relacionados ao autismo infantil:

  • Comportamentos repetitivos e por vezes compulsivos, como empilhar coisas ou colocar objetos em linha;
  • Movimentos de estereopitia, aqueles que se manifestam no corpo: ficar se balançando com frequência, agitando as mãos, virando a cabeça, entre outros gestos que remetem até certa ansiedade;
  • Dificuldade de olhar no olho das pessoas, sobretudo dos pais, além de agir como se não estivesse escutando o que os outros estão falando;
  • Mínimo interesse em se relacionar com outras pessoas. Usa pouco e quase nada da fala e tem dificuldade em compreender o que dizem;
  • Ecolalia, que se caracteriza pela repetição das mesmas palavras, por vezes substituindo um termo pouco usual pela linguagem comum;
  • Forte grau de uniformidade: resiste ao máximo às mudanças, por menores que sejam, como mudar um objeto de lugar;
  • Comportamentos ritualistas e restritos, no qual a rotina deve ser seguida à risca, num padrão imutável. Além disso, a atenção volta-se sempre a apenas uma atividade, com a concentração máxima em um canal, seja um jogo, um brinquedo, um programa, um objeto;
  • Movimentos de reclusão e baixa interação social. Não é por menos que um adolescente autista tem forte tendência à depressão, sobretudo se não for compreendido e ainda sofrer bullying pelo baixo grau de afetividade e desinteresse nos assuntos externos;
  • Já uma das situações mais graves que revelam o que é autismo é a automutilação, como bater a cabeça, morder partes do corpo ou arranhar-se. Em alguns casos mais agressivos, há o ataque às pessoas mais próximas também;
  • Em casos raros, autistas de ato desempenho podem apresentar capacidades extraordinárias, como facilidade para cálculos, alta memorização, além de altas habilidades artísticas e musicais, consideradas até fora do comum.

Com tantos sinais a verificar, não é à toa que muitos indivíduos tenham dúvidas de como caracterizar o autismo, logo, ter auxílios é primordial para acabar com todas as questões e saber como agir nesses casos. Fazendo cursos EAD do gênero, como as opções do Centro de Estudos e Formação, você aprende bastante sobre essa e diversas pautas relacionadas, aprendendo a identificar e ajudando até outras pessoas que passam por situações semelhantes. Conhecimento é essencial e faz toda a diferença.

Quais as causas?

Mesmo com uma série de pesquisas e estudos, ainda não há uma causa que especifique o autismo, por isso é visto como um transtorno neurológico complexo, formado por fatores genéticos – cerca de 50% - e exógenos, correspondentes ao ambiente de criação e suas bases.

Em todo caso, a observação das ações e comportamentos é essencial. O autismo infantil é ponderado pelo desenvolvimento cerebral e comunicação/interação entre neurônios, o que pode levar um autista a ser totalmente recluso, agressivo, genial, retraído, entre outros sinais afetivos/comportamentais e que afetam um dos cinco sentidos de modo mais perceptível (principalmente a audição e a visão).

Vale lembrar que ao menor sinal, é necessário procurar ajuda profissional para um acompanhamento especializado, só assim é possível fazer um diagnóstico correto e eficaz. Paralelo a isso, pais e educadores podem começar a conhecer o que é autismo e saber como agir nesses casos. Para isso, muitos grupos podem ajudar, assim como entidades – como a ABRA, Associação Brasileira de Autismo – e diversos cursos online que mostram dados atualizados e uma perspectiva completa sobre esse transtorno, essencial para todos que querem (e devem) aprender sobre o tema.

Há vários sinais que caracterizam o autismo, um transtorno que precisa de tratamento desde cedo

Existe tratamento?

Com certeza e, felizmente, hoje em dia há muitas maneiras de melhorar a qualidade de vida aos autistas, para que realizem as mesmas atividades e tenham a mesma saúde e bem-estar que qualquer pessoa livre dessa condição. Embora não exista uma cura propriamente dita, com um bom tratamento e acompanhamento desde o diagnóstico do autismo, a pessoa cresce vivendo normalmente e aprendendo a conviver com os sintomas que, em grande parte dos casos e conforme o desenvolvimento, aparecem com menos frequência.

É importante esclarecer que cada caso é um caso, portanto, o que vale para uma criança autista não necessariamente se aplica a outra. Já o uso de medicamentos é indicado para possíveis doenças e adversidades que sejam decorrentes do transtorno, como remédios para depressão, hiperatividade e agressividade, todos consultados por um especialista, obviamente.

Entre algumas ações que visam tratar o autismo, estão:

  • Terapia ocupacional, para ajudar no desenvolvimento das habilidades cognitivas e concentração;
  •  Fonoaudiologia, para casos de atraso de linguagem e dificuldades na comunicação;
  • Cinoterapia, que auxilia na melhora da interação social e empatia;
  • Métodos psicológicos específicos, como a observação comportamental (Análise do Comportamento Aplicada), o Tratamento e Educação para Autistas e Crianças com Déficits Relacionados com a Comunicação (Treatment and Education of Autistic and Related Communication-handicapped Children - TEACCH) e o Sistema de Comunicação por Troca de Figuras (Picture Exchange Communcation System - PECS), ambos com base na comunicação, interação e práticas psicopedagógicas.

Outros métodos podem atuar como complementos, mas, em todo caso, tudo depende da orientação dos especialistas e do diagnóstico. Uma pessoa com um autismo leve, por exemplo, receberá um tratamento diferente daqueles com superdotação ou com níveis mais profundos e agressivos do transtorno, é algo que oscila e muda bastante, não existe um padrão.

Como educar crianças autistas?

A educação após o diagnóstico do autismo pode parecer um desafio para os pais que desejam que seus filhos possam frequentar uma escola para serem alfabetizados, uma faculdade, conseguir um emprego e ter independência. Mas, isso tudo é possível desde que haja um controle do TEA desde cedo. Assim, conforme o crescimento, qualquer pessoa pode viver normalmente.

Nesse contexto, é direito de toda criança com qualquer transtorno global do desenvolvimento (TGD) frequentar uma escola regular e ter o mesmo ensino que todas, independente de sua condição. Além disso, devem receber aulas de apoio como parte da educação especial inclusiva, ministradas como complemento em outro horário fora do ensino tradicional.

Os métodos também são variáveis e não necessariamente feitos em grupos, já que cada indivíduo tem dificuldades em determinado aspecto que precisa se desenvolver de modo específico. Em todo caso, porém, depende de um profissional preparado para isso, que ajude e estimule o autista a se sentir parte do meio social, para que se se sinta seguro e sempre pronto a aprender cada vez mais.

A qualificação para professores e pedagogos de todos os níveis é essencial, tanto que existem diversos materiais fundamentais para consulta e formação profissional nesse conceito, como os cursos online com certificado, que podem ser estudados em horários alternativos na própria escola ou em casa mesmo. São propostas práticas e efetivas que dão um up no currículo e ainda esclarecem todos os pontos necessários para lidar e trabalhar com crianças autistas tranquilamente, superando todos os desafios e ajudando, inclusive, a mudar vidas.

Direitos do autista

Não dá para deixar de destacar os principais direitos do autista decretados no Brasil. Desde a Declaração de Salamanca, proposta pela Organização das Nações Unidas (ONU) no final da década de 80, que garante a educação como direito básico de todas as pessoas com deficiência, surgiram muitas leis direcionadas a esse público:

  •  Lei 12.764, que institui a Política Nacional dos Direitos da Pessoa com TEA, considerando uma pessoa nessa condição como uma pessoa com deficiência, para que possa gozar de todos os direitos legais voltados a esse grupo, assim como seus pais e cuidadores;
  • Lei 7.853, que dá suporte a toda pessoa com deficiência para que possa tratar sua patologia em qualquer estabelecimento de saúde, seja público ou privado;
  • Lei 8.899, referente ao passe livre a toda pessoa com deficiência e seu acompanhante nos transportes públicos interestaduais;
  • Lei 10.048, que prioriza o atendimento a esse grupo em qualquer estabelecimento;
  • Lei 8.742, conhecida como LOAS, a Lei Orgânica de Assistência Social, que presta o acompanhamento e suporte a toda pessoa com determinado grau de deficiência, sobretudo se vive em região vulnerável, em situação de risco ou não tenha condições mínimas de sobrevivência.

Os certificados do Centro de Estudos e Formação podem ser usados para:


Prova de Títulos em Concursos Públicos

Horas complementares para faculdades

Complemento de horas para cursos técnicos

Progressão de carreira em empresas

Turbinar seu currículo

Revolucionar sua vida profissional e acadêmica

Como aprender mais sobre autismo?

Depois dessa contextualização geral e direta sobre o que é autismo, é interessante que todos busquem ferramentas mais completas para aprender passo a passo sobre essa pauta tão séria. Para isso, há muitos cursos EAD disponíveis no Centro de Estudos e Formação. Conheça as melhores opções para um conhecimento essencial e de excelência:

Curso Online Autismo

O Curso Online Autismo é um dos cursos à distância mais completos sobre o tema. Contextualiza o autismo desde a definição básica até métodos direcionados e pertinentes a todos os pais, cuidadores, educadores e demais interessados, como um guia essencial para aqueles que não têm ideia e desejam entender desde a história do autismo até sua posição nos dias atuais, com base em pesquisas e foco na educação desse grupo.

Curso Online Métodos Aplicados no Trabalho com Autistas

Já essa alternativa é direcionada a todos aqueles que precisam ter o conhecimento para ensinar e trabalhar com autistas no dia a dia, com os melhores recursos para orientação, abordagem e estratégias, desde o autismo leve até o mais complexo. Fazendo o Curso Online Métodos Aplicados no Trabalho com Autistas, profissionais da educação, saúde, assistência social e outros ramos podem ficar por dentro do assunto e ainda se qualificarem com um dos melhores cursos online com certificado ligado a essa pauta.

Curso Online Transtornos Invasivos do Desenvolvimento

O Curso Online Transtornos Invasivos do Desenvolvimento faz uma abordagem necessária dos distúrbios neurológicos mais comuns que afetam as crianças e como os pais devem lidar com essa situação. A Síndrome de Asperger é um dos retratados e apresenta conceitos interessantes desde os primeiros sinais até o tratamento, um material primordial para informar muitos leigos que não têm ideia de como essas condições ocorrem.

Curso Online Transtornos Globais do Desenvolvimento (TGD)

Por fim, o Curso Online Transtornos Globais do Desenvolvimento (TGD) conceitua tudo o que é pertinente sobre esse assunto e sua identificação logo nas primeiras fases da criança, para conviver com ela em todo o meio social em si, desde em casa até na escola e demais ambientes. Com um conteúdo exclusivo, esse é considerado um dos melhores cursos online do portal e um dos mais aclamados do mercado.

Se você se interessou por todos esses cursos EAD e está pronto para saber tudo sobre autismo, temos uma ótima notícia. Fazendo sua matrícula no Centro de Estudos e Formação, você investe um valor único de R$ 69,90 e tem à sua disposição mais de 650 cursos à distância por UM ANO, para estudar em carga horária de 5 a 360 horas e se certificar com excelência. Esse é o diferencial de um portal de qualidade, testado por mais de 120 mil alunos. Gostou? Que tal se inscrever agora?

Bom, após tantas informações, queremos saber o que você achou do artigo. Conte pra gente suas opiniões e dúvidas, ficaremos felizes em responder. Até mais!